Saia da Depressão #41: Quando o amigo deixa o veg(etari)anismo e passa a comer “carne feliz”

130-carnefelizegalinhasolta

130-carnefelizegalinhasolta

Uma das piores coisas de que podemos tomar conhecimento é um amigo nosso abandonar o veganismo ou o vegetarianismo. Inclusive com o pretexto de que descobriu a “carne feliz” e os ovos de galinhas soltas.

Os vegetarianos e veganos mais experientes sabem muito bem que isso não é e nunca foi uma alternativa ética para o consumo de alimentos de origem animal. Eu mesmo já falei disso aqui.

A celebração da vitória da vida sobre a morte começa no prato

vitoria-da-vida-sobre-a-morte

vitoria-da-vida-sobre-a-morte

Obs.: O texto abaixo foi escrito por um ateu (eu) que respeita as religiões. Antes de pensar em desconsiderar o artigo por ter sido escrito por um não cristão, saiba sobre a falácia ad hominem e compreenda que o que faz a mensagem não são características pessoais de seu autor, mas sim o conteúdo dela.

A época da Páscoa, próxima do equinócio de primavera do Hemisfério Norte, é um tempo de celebração da vitória da vida sobre a morte. Desde os antigos povos pagãos da Europa até os cristãos de hoje, tantas culturas setentrionais comemoravam e comemoram, de formas diferentes, o fim da triste e gélida era do inverno e a chegada da florida primavera, adaptada para a mitologia cristã como a ressurreição de Cristo. Porém, é uma contradição grave que esse festejo persista sendo temperado com alimentos de origem animal, em especial carnes.

Pérolas carnistas #80

perolas-carnistas

perolas-carnistas

Imagem vaga sobre proteínas de verduras e folhas confunde veg(etari)anos

Clique na imagem para vê-la em tamanho completo
Clique na imagem para vê-la em tamanho completo

Clique na imagem para vê-la em tamanho completo

A imagem acima vem sendo muito compartilhada no Facebook, como uma alegada “prova” de que a alimentação vegetariana renderia mais proteína do que a onívora. Segundo ela, alimentos como couve-flor, espinafre, repolho, tomate e champignon teriam mais proteína do que carnes vermelhas e brancas e ovos, tendo uma misteriosa porcentagem como indício de superioridade proteica. Mas essa imagem tem mais feito um desserviço aos veg(etari)anos do que contribuído para a divulgação dos benefícios do vegetarianismo à saúde.

Textos(cos) carnistas respondidos – textos mais urgentes #3: resposta à esposa de Roger do Ultraje a Rigor

textoscos-carnistas

textoscos-carnistas

No fim-de-semana passado, Mariana Wajc, a esposa de Roger do Ultraje a Rigor, agora famoso por ser um reacionário carnista, postou uma declaração no Facebook em defesa dele, depois de ele ter falado muitas abobrinhas no programa The Noite, de Danilo Gentili. Em sua declaração, demonstra seu preconceito contra a alimentação vegetariana, ao considerá-la “cara”, “inacessível” para pessoas pobres, uma “moda” e “perigosa” para crianças, com argumentos claramente falaciosos.

Textos(cos) carnistas respondidos – textos mais urgentes #2: resposta a uma divulgação do “veganismo desmascarado”

textoscos-carnistas

textoscos-carnistas

Nessa semana, uma página do Facebook que diz ser de ceticismo tomou uma atitude nada cética: divulgou o texto de ódio carnista “Veganismo desmascarado” – que o Veganagente respondeu aqui - de forma acrítica, tratando-o como se fosse um artigo sério que realmente estivesse colocando em xeque, de forma racional e emocionalmente equilibrada, os princípios éticos mais essenciais do veganismo e a sustentabilidade nutricional da alimentação vegetariana estrita. Não sem uma introdução, de autoria do administrador da página em questão, cheia de preconceito e generalizações indevidas sobre os veganos.

Textos(cos) carnistas respondidos #42: “A farsa do vegetarianismo como discurso político”

textoscos-carnistas

textoscos-carnistas

Um blog publicou, em 2013, um texto falando da “farsa do vegetarianismo como discurso político”. Com críticas que no final das contas fazem pouco ou nenhum sentido, tenta desqualificar o vegetarianismo como opção alimentar acessível e baseada na consciência. Diversas falácias do espantalho e generalizações indevidas são visíveis no artigo, que no final das contas está atacando, senão um modelo de vegetarianismo seguido por alguns vegetarianos, um espantalho do que seria o vegetarianismo enquanto opção alimentar ideologicamente orientada.

Dhuzati Coletiva Vegetariana: “McVegan: Vegetarianismo e Assimilação”

mc-veggie-nao

mc-veggie-nao

Nessa semana a McDonald’s lançou sua primeira lanchonete 100% livre de carne na Índia, e isso tem dividido opiniões entre veg(etari)anos de todo o Brasil. A categoria veg está dividida entre quem adoraria ver a McDonald’s imitando o Subway e lançando opções vegetarianas estritras em seu cardápio, e quem continua convictamente contra a empresa e pretende manter a posição mesmo se ela virasse uma rede de fast food 100% livre de ingredientes de origem animal. Como contribuição ao debate, trago o texto abaixo, escrito pela Dhuzati Coletiva Vegetariana Artesanal, que atua em Recife, com o qual concordo integralmente.

Pérolas carnistas #79

perolas-carnistas

perolas-carnistas

Saia da Depressão #40: Como lidar quando pais dizem para “flexibilizar” a alimentação

125-faltandocomidavegana

125-faltandocomidavegana

Certamente muitos de nós já passaram por isso. Sua mãe ou seu pai falando que você deveria “flexibilizar” sua alimentação, depois que você se queixa, morto de fome, de que está faltando comida vegana (no caso, substitutos culinários diretos dos alimentos de origem animal) na despensa e na geladeira. E essa “flexibilização” a gente sabe muito bem que é voltar a consumir pelo menos laticínios e ovos.